BÊNÇÃOS E LEIS DAS BÊNÇÃOS SOBRE ALIMENTOS E BEBIDAS

Pela Graça de D-us:

Introdução:

Não existe e nem deve existir liturgia Noética, pois as leis oferecidas aos povos não judeus não formam uma religião, mas sim um código básico de comportamentos morais que propiciam paz e harmonia espiritual e social. Contudo, Noéticos verdadeiros devem louvar e agradecer a Hashem pelas coisas do mundo que se beneficiam, assim como fazem os judeus observantes das leis da Torá. A formulação e o dizer das bênçãos é santo. Portanto, antes de mais nada é proibido pronunciar estas palavras em locais impuros, como dentro de banheiros, próximo a lixo, esgotos, etc. Nunca se leva comida ou bebida para um destes lugares também. As bênçãos devem ser feitas sempre devagar e com atenção, de modo que antes de fazer uma bênção a pessoa deva saber exatamente qual a bênção apropriada a ser feita. Se várias bênçãos serão feitas, deve-se saber a ordem delas, como será explicado. Por fim, este é um assunto sério e deve ser tratado sempre com temor ao Céu. Aquele que consome alimentos e bebidas sem as bênçãos é considerado um ladrão, pois é como se roubasse de Hashem.

BÊNÇÃOS SOBRE ALIMENTOS E BEBIDAS

Os números serão referenciados nas leis sobre as bênçãos.

I. “Bendito és Tu, S-nhor nosso D-us, Rei do universo, que extrai o pão da terra”.

Uso: para comer pão, baguels, matsá, pão pita, croutons, pizza, etc., seja a farinha de trigo, aveia, cevada, espelta, ou centeio e se a farinha for misturada com água como o líquido principal (não suco de laranja etc.). E seja o pão com ou sem fermento.

II. “Bendito és Tu, S-nhor nosso D-us, Rei do universo, que cria diversas espécies de alimentos”.

Uso: Antes de comer um alimento feito de grão de cereal ou arroz (biscoitos, panquecas, macarrão, farofa de trigo, bolachas, bolos, e outros que a água não seja o principal líquido).

III. “Bendito é Tu, S-nhor nosso D-us, que cria o fruto da vinha” .

Uso: Antes de beber vinho (e champagne de uva) ou suco de uva: Atenção: evite toda bebida alcoholica.

IV. “Bendito és Tu, S-nhor nosso D-us, Rei do universo, que cria o fruto da árvore”.

Uso: Antes de comer uma “fruta da árvore” como laranjas, limão, cereja, abacate, kiwi, maracujá, pêra, nectarina/pêssego, manga, etc. (e incluíndo todos os vários tipos de nozes, como amêndoa, avelã, caju, castanha do Pará, coco-da-bahia, etc.).

V. “Bendito és Tu, S-nhor nosso D-us, Rei do universo, que cria o fruto da terra”.

Uso: Antes de comer frutas como banana, mamão (formosa ou papaya), morango, melões e melancia, abacaxi, e outras várias frutas que não crescem em árvores (como definido pela Torá). E todas as verduras da terra, sem exceção alguma, tal como a abóboras, xuxu, todas as raízes, tomate, aspargo, brócolis, pepino, pimentões, repolho, couve flor, feijões, quiabo, giló, berinjela, amendoim (a pasta de amendoim se for graúda), milho, lentilha, rabanete, alfaces, etc.

VI. “Bendito és Tu, S-nhor nosso D-us, Rei do universo, por cuja palavra tudo veio a existir”.

Uso: Antes de beber algo (água, leite, suco, refrigerantes), todas as carnes, aves, peixes, palmito, balas, queijo, ovos, gelatina, maionese, todos os patês homogênios, pasta de amendoim (sem pedaços de amendoim), chocolates, farofa de milho ou de alguma raiz, mel, cogumelos, todos os purês, etc.

LEIS DAS BÊNÇÃOS SOBRE ALIMENTOS E BEBIDAS

1. Uma bênção pode ser dita mesmo com uma quantidade pequena de comida ou bebida que será consumida.

2. Antes de recitar qualquer bênção é fundamental pausar e saber de fato qual é a bênção correta para cada alimento. Se no mesmo prato e mesa se encontram vários alimentos de um mesmo tipo de bênção, faça apenas a bênção uma vez, mas pensamento em incluir todos os alimentos da mesma espécie.

3. Após começar a recitar uma bênção, não é permitida qualquer interrupção com outras palavras até seu término. Imediatamente após fazer a bênção se deve comer um pedaço do alimento (ou gole da bebida) para qual a bênção foi feita.

4. É preciso ter cuidado para nunca fazer bênçãos em vão, pois é proibido falar o Nome de D-us sem propósito. Portanto, antes de começar a bênção tenha em mente exatamente o quê você está fazendo, qual a bênção para o alimento. A fim de ensinar crianças, a pessoa pode falar a bênção que poderá não ser sobre um alimento, mas sim para educá-la. Se a pessoa se esquecer de fazer as bênçãos específicas e começar a comer, assim que ela se lembrar deverá fazer as bênção(s) necessária(s).

5. Como já foi dito algumas vezes, somente uma pessoa que ouve a bênção de outra fala amém. Ou seja, NUNCA se diz amém para sua própria bênção. E a pessoa que falará amém deve fazê-lo IMEDIATAMENTE após ouvir a bênção. Ainda que óbvio, somente é permitide falar amém quando se abençoa a D-us, JAMAIS a outra “entidade” inferior.

6. Como já foi dito, se vários tipos de alimentos na mesma categoria serão comidos na refeição, a pessoa deve dizer somente uma bênção que cobrirá todas elas da MESMA categoria (obviamente, cada categoria de alimento tem sua bênção). Por exemplo, quando comer maças e laranjas, basta dizer uma vez só a bênção (IV) sobre a laranja (ou a maça, tanto faz), mas sim tenha a intenção no pensamento de incluir todas a frutas da refeição.

7. Quando a bênção (VI) é dita sobre um alimento, as bebidas que NÃO o vinho ou derivados dele (como suco de uva) já são incluídas nesta bênção. Por exemplo, se a pessoa fez esta bênção para comer um ovo, ela então já inclui a água que será bebida.

8. Se diferentes categorias de alimentos serão comidas SEM “pão” (ver definição de pão na seção de uso desta bênção), a ordem do recitar das bênçãos para cada tipo de comida é a seguinte: II, III, IV, V e VI. Por exemplo, quando iniciando o comer de uma salada mista que contenha também abacate e queijo, primeiro diga a bênção (IV) – o que automaticamente incluirá qualquer fruta também – e depois faça a bênção (V) para as verduras da salada (e assim, serão incluídos quaisquer outros vegetais da refeição). E somente depois faça a bênção (VI) no queijo, o que incluirá comidas e bebidas desta mesma categoria mais ampla.

9. Se um prato contém uma comida principal misturada junto com uma secundária (de outra categoria), somente se diz a bênção sobre a principal. Por exemplo, se faz somente a bênção (I) sobre um pão feito com uvas-passas. Outro exemplo, para comer uma torta de maça (ou outra fruta) se faz somente a bênção (II), pois o principal neste caso é a massa da torta.

10. Se a bênção correta específica não for conhecida, a pessoa tem dúvida, ou se esqueceu (somente nestas condições excepcionais), a bênção mais ampla (VI) poderá ser usada para qualquer prato e assim cobrir tudo.

11. Quando iniciar uma refeição com a bênção do pão (I), esta bênção cobre toda a refeição (uma vez que pela Torá, todos os alimentos são secundários ao pão). Portanto, nenhuma outra bênção fora esta é feita aos alimentos ou bebidas se a pessoa inciar a refeição com pão. (Note que a definição de pão feita na seção de uso da bênção). A única exceção é se nesta refeição houver vinho ou suco de uva. Neste caso, depois da bênção do pão, somente quando a pessoa for beber o vinho ou suco de uva,
ela deve fazer a bênçao (III).

12. Depois que a bênção (III) sobre o vinho ou suco de uva é feita, a bênção adicional normalmente feita sobre outras bebidas não é necessária, uma vez que todas as bebidas são secundárias (assim como a bênção do pão isenta as outras comidas e bebidas não derivadas da uva).

13. Toda pessoa que teme a D-us deve cobrir a cabeça. Não se faz uma bênção com a cabeça descoberta. Não se faz uma bênção sem se estar vestido. Não se faz uma bênção só de roupas íntimas. A mão não serve como cobertura para fazer uma bênção. Aonde não existe recato, a Shechiná (“Presença Divina”) não paira.

14. No mundo que vivemos, principalmente não judeus por viverem em comunidades “abertas”, seculares e totalmente ignorantes das leis de D-us, pode ocorrer algum constrangimento no pronunciar das bênçãos. Tudo é de acordo com o nível da pessoa, sua força e coragem. Entretanto, se for necessário por alguma razão, a pessoa pode fazer as bênçãos em voz bem baixa, mas ao menos movendo os lábios e usando o seu fôlego.

15. Elas leis devem ser estudas e de preferência decoradas. Todas as palavras escritas aqui são importantes. Aprendam a ler cada uma destas instruções. Possivelmente, vários alimentos trarão dúvidas sobre a bênção correta a ser feita, mesmo para os mais experientes. Isto é normal e pode e deve ser sanado com o estudo e prática.

Aqui se encerram as leis básicas sobre alimentos e bebidas.

Rabino Avraham Chachamovits

8 opiniões sobre “BÊNÇÃOS E LEIS DAS BÊNÇÃOS SOBRE ALIMENTOS E BEBIDAS

  1. Caro Rabino Avraham

    Pela Graça de D’us, tudo tem o seu devido tempo. E essas bençãos dos alimentos veio em momento certo, para nós Noéticos que buscamos se ligar ligar a Hashém de maneira santa e retificados, libertando-nos de todo tipo de cultura idolatra.

    Carlos Alberto

  2. Shalom caro Rabino Avraham, estou feliz por mais essa etapa do nosso aprendizado, como uma Noético que nasceu e cresceu em um País de uma cultura totalmente idolatra, sem nem um conhecimento de Torá, está sendo um novo nascimento, onde tudo é diferente e merece total atenção e dedicação, muito obrigado por nos ensinarmos sobre assuntos tão profundos, sobre as leis da Sagrada Torá.
    Que D-us nos ajude a colocar em pratica cada palavra ensinada.
    tudo de bom.
    Shalom

  3. Shalom.
    Mais uma Vez Muito Obrigado Rabino Avraham pela sua disposição dedicada a todos nós, entendo que só poderemos lhe retribuir com nossa ação/dedicação no aprendizado e praticas diárias, ensinarei a meus filhos e a todos que freqüentar minha mesa e assim ter o mérito de louvar e agradecer a Hashém por todas as abundantes maravilhas dispostas a todos os seres cujo sua palavra tudo veio a existir.

    Se o Sr, Rabino me permitir gostaria de lembrar aos colegas Noéticos de seu Twitter:
    Rosh Hashana não é um dia “normal”, mas sim um dia de 48 horas: do anoitecer do dia 16 de Setembro até o anoitecer do dia 18, Neste período em particular é recomendado máximo de humildade, evitar ficar zangado , bem como as evitar falas fúteis. Todos estão sob juízo.

    Que o Rei do universo criador de todos os seres, conceda a todos com sua inesgotável misericórdia, sabedoria, entendimento em sua Torá e Paz no próximo ano.

    Obrigado.

    Edson Bertoldo.

  4. Shalom Rabino Avraham e amigos

    Louvado seja o Ribono Shel Olam por mais este profundo e relevante ensinamento ofertado pelo Sr. Rabino.
    Apreender agradecer os alimentos e bebidas de forma correta além de ser uma obrigação é um deleite para alma, pois nada nos pertence…mesmo assim o Criador nos presenteia a todo momento.
    A cada novo aprendizado, uma nova responsabilidade.
    Que possamos escolher o caminho da retidão sempre, e dedicarmos todo zelo na responsabilidade espiritual.
    Obrigada Rav por todo empenho e dedicação ofertado,graças a D-us vidas tém sido transformadas com seu trabalho.
    Que o Eterno abençoe o Rabino e os seus com saúde fisica e espiritual.
    Shalom tudo de bom.
    Patrícia.

Nenhum comentário será respondido

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s