VAV

“Circuitos Inteligentes” http://beitarizal.org.br/2013/06/30/vav/

Em http://beitarizal.org.br/2013/07/09/zayin/ o Rav diz “…separar o joio do trigo… descascar o fruto…”

Na verdade estamos o tempo todo tentando fazer isto Aqui. Desconfio que nosso Erro, maior dificuldade é a organização.

Primariamente, necessitamos trazer “Ossos” para a carne (estruturar) o corpo noético, e evitar assim, esses nossos desvios e desaparecimentos súbitos. Manter um corpo íntegro, como um Circuito Inteligente, se D-us quiser. (Sobre circuitos inteligentes: http://beitarizal.org.br/2013/06/30/vav/ )

O aprendizado e a experiência no conteúdo do Rav é algo que só pode ser vivido com disciplina. E a disciplina só existe quando há organização. Os debates nos impulsiona a isto, porque como o Rav disse, é a melhor maneira de descascar o fruto (“pilpul”). Naturalmente nos mantém conectados, pois exige esforço e ritmo diário. Não depende do conhecimento de cada um. O debate é composto por argumentos legais feitos direto da fonte (que para nós é a Obra Permitida do Rabino Avraham). É a busca na opinião dos sábios da Torá, suas Leis regulamentadas, as permitidas aos noéticos.

“Boa Ordem (organizar)” “Acção dirigente de um mestre (Instrução)”. O Rav nos deixou esta herança. Ele está aqui. Sua obra sobre os relacionamentos juntamente com o refinamento individual (isolamento, solidão religiosa) é um instrumento de conexão no tempo com o Rav. O Rav se comunica conosco aqui, o tempo todo. Tudo depende do nosso Desejo (um segredo / Nistar, nitsavim). Se verificar nos arquivos antigos do site encontrará o Mestre nos instruindo sobre o que estamos debatendo (como organizarmos nosso estudo). Copio o link: https://retidaonoetica.wordpress.com/2012/05/17/bom-dia-amigos-de-retidao-noetica-imaginei-ser/. Em seguida, ele enviou um arquivo contendo um roteiro para estudo (Direcionamentos comunitários (18/05/2012), o qual particularmente tenho distribuído durante a semana, e estudado com minha família (Gostaria de compartilhar com os amigos), de acordo com que o Rav disse: “…criar um reduto espiritual de retidão – de ética e moral – adjunto às comunidades judaicas ortodoxas… precisam emular moralmente às mesmas comunidades observantes da Torá… Através de uma simples estrutura de propósito e orientações, a reunião de Noéticas poderá ser uma luz vital na vida de todos que se assim se agruparem, e inspirar a todos que tomarem conhecimento de sua existência, se D-us quiser.”

Façamos como a introdução/música desta aula, mãos e voz em sincronia/ordem.

Agradeço por ouvirem. Obrigado.
Edson Bertoldo.

19 opiniões sobre “VAV

  1. Boa Tarde Estimado Rabino Avraham e Colegas,

    Sr. Edson, muito obrigada pela dedicação e grande empenho.

    Não sei todos os colegas possuem a instrução e orientação enviada pelo Rabino nesta época.
    Sendo assim estou postando para que todos fiquem cientes e conscientes sobre o que o colega escreveu.

    —————————————————————————————————–

    Pela Graça de D-us:

    Caros alunos e alunas,

    Diante da boa recepção de vocês sobre o meu incentivo para o crescer do contato e comunicação entres todos, achei importante oferecer direcionamentos para garantir o sucesso desta iniciativa. É muito importante ler este texto devagar, com humildade e total atenção.

    A vida Noética é por natureza isolada. Não sendo uma religião, membros deste grupo sempre se espalharam pelo mundo desprovidos da organização muito maior necessária pelos ritos e costumes religiosos judaicos. Isto é assim, pois o cumprimento integral de muitos dos mandamentos necessitam frequentemente no contato entre os judeus. Os Noéticos não têm jugo Divino. Portanto, seu código moral e ético, em princípio, não necessita de outros indivíduos iguais para ser cumprido. Esta é a realidade Noética. Entretanto, a sociabilidade natural que os homens exibem é um fator a ser considerado. E diante da corrupção do mundo, em particular aqui no Ocidente, aonde as ondas do secularismo fundamentalista – o paganismo disfarçado – crescem com força “tsunâmica”, os Noéticos precisam encontram portos seguros para ganhar fôlego e distância destas águas impuras. Portanto, fomentar contato entre Noéticos é criar um reduto espiritual de retidão – de ética e moral – adjunto às comunidades judaicas ortodoxas. Sendo assim, os comportamentos dos membros das Arcas Noéticas que se difundem possivelmente no mundo precisam emular moralmente às mesmas comunidades observantes da Torá. Novamente, ainda que não exista um jugo Divino para os Noéticos, seu alinhamentos espiritual com Hashem, vivenciado através do código ético Noética das 7 Leis e suas ramificações, por si só é um caminho abençoado por Ele. E estes comportamentos para os Noéticos que afinal, não têm o costume de se unir uma vez que na essência não existe necessidade para isso, precisam ser estabelecidos. Através de uma simples estrutura de propósito e orientações, a reunião de Noéticas poderá ser uma luz vital na vida de todos que se assim se agruparem, e inspirar a todos que tomarem conhecimento de sua existência, se D-us quiser.

    Existem dois propósitos fundamentais que pressupõem a existência de laços mais estreitos comunitários de um grupo Noético casher:

    1. O estudo e discussão das partes permitidas da Torá.
    2. O apoio psicológico entre os membros.

    Em geral, no primeiro quesito, um ben (“filho”) ou bat (“filha”) Nôach seria designado para liderar o estudo e discussões. Isto é o mais comum nas comunidades Noéticas físicas. Como a comunidade do “Retidão Noética” ainda é embrionária, não existe esta figura. Espera-se que com o tempo e avanço na retificação do caráter e entendimento de todos, tal figura naturalmente surja. Em geral, o rabino ortodoxo não pode ser esta figura, seu papel sendo sempre paralelo à evolução da comunidade, incentivando-a, e respondendo às perguntas, mas nunca dirigindo ela. Devido ao estado embrionário desta comunidade e sua realidade “virtual”, eu tenho assumido todas as funções educacionais. Se a comunidade crescer verdadeiramente – em qualidade e quantidade – em tempo a Arca será solta para percorrer no mar o seu caminho, e eu agirei como deveria: respondendo às perguntas e ajudando sempre, mas não como líder comunitário. Dito isso, é preciso entender qual o estudo recomendado para que o primeiro quesito possa ser preenchido de modo apropriado. Para tal, segue a lista de estudos Noéticos permitidos:

    a) As Halachót/Leis Noéticas, com seus comentários e ramificações.
    b) A Torá (os “Cinco livros de Moisés”) sem comentários. Não é permitido se aprofundar na Torá.
    c) Os Profetas e as Escrituras, sem comentários.
    d) Obras místicas se e somente se tratarem de assuntos de Mussár (“ética e moral”), portanto que fomentam temor a D-us. A minha obra tem prioridade aqui.
    e) O estudo adicional das seguintes Halachót:
    As partes cabíveis da Shmirát HaLashón (“Leis da fala apropriada”).
    As partes cabíveis do Chôshen Mishpát (“Leis dos negócios”).
    As partes cabíveis do Hilchót Issurêi Bi’ah (“Leis sexuais e sobre recato”).
    f) Obras de Mússar não místicas também.
    g) História dos Tsadikim (“Justos”), como os mestes Chassídicos, e as histórias dos patriarcas etc.

    (Note que esta é uma lista geral, não necessariamente completa, mas que por hora servirá como guia).

    Todas as partes destas obras que fazem referência aos judeus são inapropriadas aos Noéticos, assim como toda e qualquer nível de obra que não faz parte desta lista. O fato de vivermos em um tempo de alta disponibilização de informação é sempre preocupante. Devido aos costumes seculares, imagina-se que tudo que é desejado pode ser adquirido. E este procedimento infeliz causa com que Noéticos viajem na Internet ou nas grandes livrarias e acreditam que tudo que possa ser comprado, pode e deve ser lido e estudado e isso será o modo de alcançar seus objetivos, inclusive os espirituais. Isto além de infantil é perigoso. Desprovidos de “estofo” espiritual e herança de Torá, não judeus “transferem” a sua visão secular sempre imatura para seus objetivos espirituais. No mínimo, misturam tudo que é espiritual com total ignorância, leniência e irresponsabilidade (além de nada aprenderem de fato). Vejam um exemplo clássico disso abaixo, na “sacola espiritual” de livros de alguém que certamente deseja crescer em seu caminho Noético, mas que sem direcionamento prévio, apenas criou um “poço de confusões”:

    I. Astrologia da Cablá – Yair Alon e Maria Luiza Boccia
    II. O poder da Cabalá / A Força / A Cabalá e a arte de ser feliz – Ian Mecler
    III. Torna-se como D-us / 72 Nomes – Michael Berg
    IV. Numerologia Judaica e seus Mistérios – David Zumerkorn
    V. As 3 Dimensões da Kabalá / A Sabedoria da Alma – Chaim David Zukerwar
    VI. Jardim das Almas – Avraham Greenbaum
    VII. Mashiach – Jacob Immanuel Schochet
    VIII. Sabedoria Judaica de A a Z – Arnaldo Niskier
    IX. O Caminho dos Justos – Moshe Chaim Luzzatto
    X. O Zohar O Livro do Esplendor – Ariel Bension
    XI. Meditação Judaica ( que o autor diz ser para Judeus e não Judeus ) / Meditação e Cabalá / Sêfer Ietsirá – Arieh Kaplan

    Sem exceção nenhuma na história da humanidade, nenhum livro escrito por não judeus é casher. E nem os não judeus detêm qualquer conhecimento real sobre os aspectos ocultos da Torá. É impossível que conheçam algo e de fato, nunca houve relato algum em milhares de anos de Torá, de alguma exceção. Todo e qualquer “conhecimento” proveniente de não judeus (ou mesmo de judeus assimilados e acadêmicos) é impuro, corrompido, falso e herege. Portanto, desta “sacola de livros”, os seguintes precisariam ser jogados no lixo, literalmente: I, II, III, VIII, e X.

    O livro IV é cashér, mas o assunto não tem valor para Noéticos.

    Os livros V, VI, VII, IX e XI são cashér (apesar que são traduções). Entretanto, eles são direcionados ao público judaico. Mais ainda, não se aprende assuntos espirituais de livros. Sem vivência espiritual direcionada e real, tudo é mero academismo infantil. Se fosse verdade que através destes títulos é possível crescer espiritualmente, o mundo estaria repleto de “cabalistas”, o que implicaria diretamente em pessoas vivendo vidas absolutamente retas e santificadas. Sabemos que isso não é verdade. Estes livros são consumidos como “material acadêmico”, e como são sistematicamente desprovidos de atuação legítima pelo leitor, que os lê como leria qualquer outra coisa, sem discernimento ou direcionamentos de um mestre, e assim, fazendo tudo o que deseja, guiado evidente pela fragmentação de sua mente e ego inflado.

    É preciso trazer outro exemplo, ainda mais dramático, da intensa e preocupante confusão mental de supostos “Noéticos”. Novamente, devido às facilidades de informação que caracterizam nosso tempo, qualquer não judeu hoje em dia, entra em uma “Judaica” (loja que vende artigos religiosos judaicos), compra algumas peças de roupa, livros etc., e “acha” que agora faz parte do Povo de Israel. Os exemplos destes comportamentos são inúmeros, e eles são todos aberrações reveladas e atos que eu classifico como insanidade. Entretanto, isso é comum, pois assim como uma pessoa que cresceu no meio secular (ainda mais não judaico) “acredita” que qualquer conhecimento possa ser adquirido (se desejado e comprado), o mesmo é transferido para “o adquirir do Judaísmo”. As barbaridades que os não judeus neste caminho corrupto comentem é algo impressionante. Em sua total inocência/ignorância espiritual, fazem o que têm “vontade” e no fim, se tornam “agentes do mal” na terra, profanando o Nome de D-us sem saberem e agindo com total desrespeito às leis de D-us. Uma tragédia que eu luto constantemente contra e a fim de educar estes incautos que até podem ter um coração para Hashem, mas que se perdem em seus egos e grande tolices. Vários membros desta comunidade Noética emergente antes de tomarem contato com minha obra, tiverem estes mesmos comportamentos.

    Por fim, gostaria de tratar o item número dois dos objetivos desta iniciativa comunitária, a saber, sobre o “O apoio psicológico entre os membros”. A facilidade de se perder neste quesito (tal como no primeiro) também é muito grande. É muito importante o entendimento e adesão das leis de recato (muitas delas comentadas no meu site Brit Kôdesh). A santidade nunca paira aonde a imoralidade reside. É proibido contato entre homens e mulheres, salvo nas condições que estão no site mencionado. Qualquer dúvida deve ser antes da ação, perguntada a mim diretamente, sem exceções. Portanto, a iniciativa pressupõe que existirão dois grupos: o masculino e o feminino. Homens e mulheres nunca podem se comunicar diretamente sem considerações de recato e modéstia. Se eu estiver algum dia presente diante de vocês todos, as mulheres se sentarão separadas dos homens e todos precisão se vestir com recato. Estes assuntos poderão ser tratados com mais detalhes em outra hora. Pelo outro lado, o suporte moral, psicológico que pode ser oferecido a todos por todos é vital, e trará força e vigor a todos, se D-us quiser. Saibam que eu sou a favor disso sempre, desde que respeitados as questões de recato. O embrião que aqui cresce precisa deste apoio justamente pela realidade muitas vezes difícil em que os Noéticos se encontram. E como eu disse também recentemente em um post:

    O mal é sempre “organizado”. Veja até a própria expressão, “Crime organizado”, Portanto, do mal deve-se tirar e aprender algo de bom, como instrui a Torá. Portanto, a organização do mal, como estrutura, é em si positiva. A estruturação (que inclui a formalização dos processos, a efetivação de contatos mais próximos, etc.) aumenta a força de uma comunidade, por exemplo. Alunos que foram embora daqui, porque não aguentaram os direcionamentos, talvez tivessem permanecido e alterado seus caminhos se houvesse suporte mais eficiente e regular da comunidade. Certamente, mal não teria feito com isso. Existem outras vantagens para o ganho em organização: retirar pesos do rabino que deveria se focar somente nos estudos e orientações e não tanto em questões administrativas. A fortificação dos laços entre vocês faz a comunidade ganhar união em geral. A assunto de união é a essência da Torá. Portanto, como você disse, um grau maior de integridade. A união em santidade (em Hebraico, áchdut ve’kedusha) é o caminho para trazer Mashiach. Sendo assim, todos esforços para unificar, crescer e avançar em sensibilidade, conhecimento/lucidez e práticas sancionadas pela Torá, é extremamente valioso.

    Em resumo: todos os encontros devem ter objetivos pré-estabelecidos. Todos os membros devem sempre estar cientes do tema a ser abordado. É muito importante o estudo de minha obra escrita e oral. As várias considerações de recato devem ser observados, mesmo virtualmente (como Skype etc.). Todas as dúvidas devem ser dirigias a mim. A comunidade é frágil e delicada, e todos devem ser muito cuidadosos com isso, sendo sempre doces e respeitosos entre si. Ninguém pode ser convidada a estes encontros em a minha aprovação prévia. Ainda não existe a figura de líder Noético. Sejam amigos verdadeiros e se foquem no Divino.

    Eu quero dar as minhas bênçãos a todos e pedir que sejam fortes, consistentes, fiéis e íntegros em tudo que fizerem sempre, pois este é o caminho da Retidão Noética.

    Que Hashem abençoe esta iniciativa com hatzlacha rabá (“sucesso grande”) e doce, amém.

    Rabino Avraham Chachamovits

    —————————————————————————————————–

    • Graças a D-us,
      Boa noite Dna Regina,
      Sou muito grato por escrever enfatizando sobre o assunto. É uma atitude que vivifica o direcionamento do Rav, e firma vosso compromisso com esta estrutura tão bem elaborada pelo Mestre.
      Espero que mais amigos leiam e também escrevam selando este compromisso, que tanto traz felicidade ao Rav, pois como ele disse “…é o caminho para trazer Mashiach…”, e este é o desejo de Hashem.
      Obrigado.
      Edson Bertoldo.

  2. B”H.
    Caro sr Edson, sra Regina Pires e demais bnei Noach muito boa noite a todos.
    Estive lendo os direcionamentos que a sra postou, e até agradeço por que eu não o tinha lido ainda, e peço desculpas a todos por isso.
    Diante dele me pairou uma pergunta, ou melhor algumas perguntas, mas somente vou fazer uma e gostaria que de ante mão novamente me desculpem se eu estiver falando algo que não caiba no contexto.
    Podemos hoje, diante do fato de o Rabino Avraham, momentaneamente ou não, não estar efetivamente conosco aqui no site, de termos contato uns com os outros (todos os membros da comunidade), mesmo que virtual, obviamente dentro e totalmente integrados às diretrizes de recato e respeito, tão sabiamente colocadas pelo nosso Rav? Ou isso ainda não é cogitado?
    Desde já agradeço, seja qual for a resposta.
    Att,
    Joao Luiz

  3. Pela Graça de D-us,

    Agradeço a especial atenção do amigo.

    Todos podemos responder tranquilamente esta dúvida. E o Sr. não tem que se desculpar, ao contrário, esta pergunta é proposital, revela a kavaná, o desejo pela União.

    Nosso estudo, daqui em diante, se D-us quiser, estabelecerá uma conexão no tempo com o Rabino Avraham, e com Hashem. Nossos esforços pela união e crescimento, irão nos proporcionar maior sensibilidade, e isto ficará muito visível.

    Tenho certeza que com a Graça de D-us, logo estaremos envolvidos no contexto do Rav: “…Se eu estiver algum dia presente diante de vocês todos, as mulheres se sentarão separadas dos homens e todos precisão se vestir com recato…”. Este é o objetivo do seguir as orientações: UNIÃO (isto EU gostaria, inclui o Rav). Como escrevi no post: Tudo depende do nosso Desejo (um segredo / Nistar, nitsavim). As revelações virão conforme nossos esforços. Se ainda sim houver dúvidas entre os amigos, subscrevo as palavras do Mestre:

    “Bem-afortunado vocês que se mantêm ligados a Torá. É importante estudar com zelo o material do site TODO e REGULARMENTE, se preocupando em crescer diariamente nas ações retas e dignas, no temor e amor a Hashem e desejo sincero por iluminação. Recomendo muito que vocês FORMEM GRUPOS DE ESTUDO. Que Hashém os abençoe com saúde, paz e sustento”. (Carta enviada aos membros, informando a reabertura deste fórum).

    Espero ter contribuído sobre a questão.
    Fico muito feliz em ver a dedicação dos amigos.
    Obrigado.
    Edson Bertoldo.

    Obs.: Reafirmo que sigo um roteiro de estudo particular, onde encaixo nos dias da semana todos os assuntos orientados pelo Rav. Gostaria de compartilhar com os membros.

    • B”H.
      Caro sr Edson, bom dia.
      Agradeço pela resposta do amigo.
      Tenho o desejo de que haja sempre a união do nosso grupo e num futuro podermos, dentro do contexto já explicado pelo rabino Avraham, nos conhecermos melhor, e termos vida social, pois sinto falta de convívio, embora saiba que a solidão nos eleva a níveis espirituais mais elevados quando a unimos a meditação de TORÁ.
      E quanto ao roteiro que o sr tem, se puder me enviar por e-mail eu agradeço, joaomarmerc@yahoo.com.br.

      Agradeço a todos os demais bnei Noach e ao rabino Avraham.

      Respeitosamente,
      Joao Luiz

      • Boa noite Sr. João Falquenstens,

        Paz e alegria ao Sr., que tem sido um amigo corajoso e insistente neste caminho tão difícil e contrário ao meio em que vivemos.
        A solidão religiosa, o isolamento, é para quase todo meio em que vivemos. O único refúgio, é nossa amizade aqui, que representa também nossa meditação de Torá.
        Sobre o roteiro, logo estarei encaminhando para vosso e-mail.

        Obrigado por estar conosco.
        Edson Bertoldo.

        • Boa Noite Sr. Edson,

          obrigada pela participação ativa.
          Porem antes de ser enviado algum roteiro de estudo não seria prudente a analise e aprovação do mesmo ?
          Precisamos ser cuidadosos em cada passo. E seguir somente e mediante a uma orientação competente.
          Para minimizar ao máximo a probabilidade de enganos e possíveis erros.

          Espero que a colega compreenda minha posição e receio.

          Tudo de Bom
          Atenciosamente
          Regina

        • B”H.

          Caro sr Edson, boa noite novamente.
          Peço desculpas novamente, mas pensei que o roteiro tinha sido sancionado pelo Rav, lendo melhor percebi que não. Sendo assim, peço a compreensão do amigo, pois realmente devemos ser cautelosos, conforme dito pela sra Regina, e buscar um direcionamento sobre o assunto, e se nada houver que impeça, receberei o roteiro do sr com muito prazer.
          Agradeço contando com a compreensão do amigo.

          Joao

      • Pela Graça de D-us,

        Boa noite Srª Regina,

        Igualmente agradeço vossa participação.

        Participação ativa é uma função masculina. É nossa obrigação.

        O Rav orientou que inicialmente os estudos e contatos mais próximos ocorressem entre os homens: “…É proibido contato entre homens e mulheres, salvo nas condições que estão no site mencionado. Qualquer dúvida deve ser antes da ação, perguntada a mim diretamente, sem exceções. Portanto, a iniciativa pressupõe que existirão dois grupos: o masculino e o feminino…”

        A estrutura que sigo são as aulas do Rav (orientação máxima competente neste Forum), correlacionadas/distribuídas nos itens pré-dispostos das orientações “Direcionamentos Comunitários”.

        Assim que possível, farei um post, incluindo este roteiro, e caso o moderador autorize, as mulheres também poderão copiá-lo para próprio estudo.

        Espero que a Srª compreenda minha posição.

        Continuo aguardando a contribuição dos outros amigos para contatos mais próximos.
        Obrigado.
        Edson Bertoldo.

  4. Shalom Rabino Avraham e amigos.
    Sei que necessitamos de ação, ao invés de filosofar sobre assuntos tão Santos, más confesso a vocês tenho receio de que o processo de debates possa trazer beneficios.
    Pois nosso ego sempre fala mais alto, a ponto de nos acharmos mais merecedores e entendedores que outros.
    No meu modo de pensar falo por mim, não estou pronto a confrontar minhas idéias, pois eu vivo em grande luta em meu dia a dia, cometo falhas teriveis, tanto no falar como no agir, peço perdão a Hashem a todo momento, e vou em frente com alegria de pensar que naquela transgressão eu não volto mais, tolo pensamento pois cometo uma falha novamente talvez a mesma só disfarçada.
    É uma alegria saber que temos este canal onde possamos contar nossas experiências sem receio, pois aqui estamos todos em um processo de evolução, estamos engatinhando, alguns podem até estar dando alguns passos, mais ainda não tem força para poder escorar alguem.
    Tentamos isto uma vez com o Rav bem próximo e fracassamos a ponto de perder todo o contato com ele.
    Para mim foi muito dificil a ausência de contato com o Rav, passei dias de muita tristeza e incertezas, garanto a vocês se for da vontade dele que este grupo vá por este caminho seguirei com garra e determinação, más por enquanto vou esperar, se vocês em comum acordo acharem que eu não deva postar nada em seus comentarios assim farei.
    Más neste momento eu tenho que estudar muito, mudar minha vida, tanto no lado profissional como na vida pessoal, tenho muito mais muito mesmo para melhorar.
    Não quero nadar contra a correnteza, pois como sugere este projeto tenho o direito de pensar diferente, acho que é assim que se começa um debate, com visões diferentes do mesmo assunto.
    Grato
    Alessandro

    • “…Tentamos isto uma vez com o Rav bem próximo e fracassamos a ponto de perder todo o contato com ele…Para mim foi muito difícil a ausência de contato com o Rav, passei dias de muita tristeza e incertezas, garanto a vocês se for da vontade dele que este grupo vá por este caminho seguirei com garra e determinação,…”

      A intenção foi exatamente esta, passar pela dificuldade na ausência de contato. Isto é Bitul-anulação do ego. Todos temos que passar por isto, porque temos que “Naase V’Nishmá” (Aceitar para depois entender)

      Sugiro que o Sr. leia todos os comentários https://retidaonoetica.wordpress.com/2013/08/29/a-cabala-e-a-cura-das-doencas-3/#comments

      Esta dificuldade é nosso ego tentando nos impedir de progredir, ele está sempre presente quando tentamos nos expressar (Acho, não quero…tenho…). Mas o Sr. é muito Forte, age de boa Fé, está sempre disposto a se Retificar e a apoiar os amigos necessitados.

      Obrigado.
      Edson Bertoldo.

  5. Shalom Rav e amigos, me desculpem, não fui claro quando eu disse “nadar contra a correnteza…” quando eu me referi o projeto eu quis dizer sobre a idéia de se formar grupos de debates (estudo) e não sobre o projetos Retidão Noética.
    Pois o propósito do debate é confrontar visões diferentes sobre um assunto.
    Que Hashem abençoe a todos e que juntos com debate ou sem possamos crescer e se tornar um grupo coeso, e de pesssoas que busquem mudar suas vidas para adoçarmos os julgamentos Divino.
    Tudo de bom!
    Alessandro

  6. Pela Graça de D-us,

    Boa noite Sr. Alessandro,

    Agradecemos muito por se expressar com sinceridade.

    Nós, que chegamos até aqui, aceitando as orientações do Rav, somos muito compassivos à vosso questionamento e preocupação. Por este motivo vamos tentar esclarecer melhor:

    O objetivo não é nos confrontarmos. E sim sermos inseridos em uma estrutura divina, testada e aprovada, pelo meio Judaico Ortodoxo, e melhor, adaptada pelo Rabino Avraham, especialmente para noéticos. A tecnologia atual só existe e perdura, graças a este método (circuitos inteligentes). Isto é Torá.

    O Rav ensina que Pilpul é uma forma Santa de debates: “Os debates nos impulsiona a isto, porque como o Rav disse, é a melhor maneira de descascar o fruto (“pilpul”). Naturalmente nos mantém conectados, pois exige esforço e ritmo diário. Não depende do conhecimento de cada um. O debate é composto por Argumentos Legais feitos direto da Fonte (que para nós é a Obra Permitida do Rabino Avraham). É a busca na opinião dos sábios da Torá, suas Leis regulamentadas, as permitidas aos noéticos.”… E Não em nossas opiniões.

    O Rav em seu recente vídeo nos alertou sobre a Ansiedade. Ela interfere muito em nossas decisões. Se D-us quiser logo irei postar alguns insigts que o Rav nos traz sobre a Luz Refletida, um curso que nos habilita a seguir este caminho com Paz, Equilíbrio e Segurança. Nos proporciona a amizade fiel entre bons amigos.

    Logo estarei tentando postar também o modelo de estudo que sigo em casa, onde durante a semana tento inserir todos os itens contidos no e-mail “direcionamentos” (obras autorizadas pelo Rav). Confesso que tenho gostado muito.

    Ansiamos uma nova posição sua, pois somos carentes uns dos outros.

    Desde já agradecemos vosso novo posicionamento.

    Obrigado.
    Edson Bertoldo.

  7. Shalom

    Peco desculpas pela minha timida participacao no grupo. Que Hashem me permita vencer minha “casca” de limitacoes e preguica para que eu me torne mais ativo neste grupo de estudos.
    Tenho todos os dias acompanhado os posts e escutado/estudado as aulas comentadas pr voces colegas.
    Vou estudar esta aula em questao e em breve se D-us quiser comentarei minhas humildes impressoes.

    Tudo de bom

    Thiago

    • B”H.
      Caro sr Thiago, bom dia.
      Tenho certeza que a sua participação aqui é fundamental, e é parte tanto do seu crescimento como do meu e dos demais amigos que o sr deixe suas impressões.

      Desejo tudo de bom para o sr e força.
      Att,
      Joao Luiz

    • Pela Graça de D-us,

      Mais um amigo guerreando e nos influenciando com humildade.
      Obrigado por compartilhar esta Força conosco. Assim prevalecemos e nos tornamos mais resistentes ao meio que nos cerca.
      Aguardamos vossa valiosa contribuição.

      Obrigado Sr. Thiago.
      Edson Bertoldo.

  8. Shalom Rabino Avraham e caros amigos Noéticos.
    Quero salientar que estou disposto a colaborar no que for possível com todos, manterei meu contato com frequência, postarei minhas experiências e meus estudos das obras do Rav,
    Más só farei parte de qualquer grupo de estudo quando a harmonia prevalecer, não estou aqui para participar de disputa, ou satisfazer meu ego, quero crescer em atitude e conhecimento e merecer esta segunda chance que o Rav me deu para estar próximo.
    Sei que o desejo de todos é o mesmo, então reflitam e vamos aprender juntos, escolham uma aula do Rav e vamos dar nossa impressão e passar nosso entendimento e crescer juntos homens e mulheres, todos buscando adoçar o julgamento Divino.
    Tudo de bom a todos.
    Shabat Shalom!

    Alessandro

  9. Pela Graça de D-us,

    Sr. Alessandro, Muito bom ouvir estas palavras. Obrigado.

    Inicialmente, a timidez tenta nos contagiar, e nos previne de agir. Mas em tempo a diversidade é eliminada, e a verdade prevalece: união entre os membros.

    O que foi proposto é o que o Sr. escreveu. A diferença é que quando houver aquele desejo latente queimando no peito, naturalmente haverá uma Aproximação maior, entre um e outro (entre homens, ou entre mulheres, mas nunca entre sexos opostos). Isto não depende do tempo porque: quando D-us une, nenhuma força separa. Ele é a Força da Pluralidade na Natureza, e se manifesta inicialmente em Dualidade: O IMANENTE (Um, A Terra) preenchendo conscientemente todos os mundos – a maravilha da realidade, sua presença revelada (a Aproximação manifesta), e O TRANSCENDENTE (Único, O Céu), circunvolvendo inconscientemente nossa realidade, conexão em segredo (a Aproximação existe, mas, inconscientemente), com a possibilidade de acesso a níveis mais remotos de alma / consciência.

    Transcendente X Imanente = Monoteísmo=> http://beitarizal.org.br/2013/03/05/cabala-e-meditacao-para-as-nacoes-3/

    “ … TUDO volta para o Um, porque o Um D-us é a origem de toda pluralidade de nosso mundo… a primeira Letra da Torá, o Beit, o Número Dois, a Criação”
    Shem Hashem Havaya
    (“…Um, continuamente trazendo realidade à Existência…..”)
    Obrigado.
    Edson Bertoldo.

Nenhum comentário será respondido

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s